terça-feira, 16 de agosto de 2011

Simplesmente Beatriz!

Há bem pouco tempo atrás, ela ainda era desconhecida, ausente e inimaginável na minha vida. Talvez fosse triste e infeliz, mesmo lutando para sobreviver e querendo mais que isso, querendo viver e ser amada. E Deus, em sua infinita sabedoria, resolveu dar uma mãozinha ao destino e, quando menos imaginei, lá estava ela: em casa, simplesmente esperando para me conhecer. Foi trazida por um anjo que, obviamente, soube reconhecer outro de sua espécie que merecia calor, carecia de afeto e tinha um oceano de amor para oferecer.

No início, me deu um sorriso pequeno e tímido, parecendo ter um certo medo de revelar sua imensa alegria ou, então, com receio de que o nosso encontro fosse apenas um evento passageiro. Mal sabia eu que os olhinhos que brilharam para mim naquele dia jamais iriam deixar de me seguir, me iluminando e me fazendo mais feliz do que poderia fazê-la. No primeiro toque percebi que havia algo especial entre nós e, nesse instante, minha alma estremeceu, parecendo acionar o alerta. Achei que era sinal de perigo e tive medo, mas estava enganado. Era uma identificação que parecia vir de outras vidas, de outro plano espiritual, algo inexplicável. Mas era um aviso divino me pedindo para protegê-la, amá-la e dedicar-lhe um pouco de tudo aquilo que ela tem me dado em demasia.

Mesmo me sentido arredio e insistindo em resistir, consegui ouvir a voz do meu velho coração e, inevitavelmente, o medo e o desconforto deram lugar ao encanto singular daquela que começou a conquistar um lugar especial: o de minha filha caçula. E o sorriso deste pequeno anjo foi se transformando em gargalhadas, gargalhadas exclusivas, só minhas – coisa que, para algumas pessoas é ainda indecifrável. Agora, sem esforços, sem culpas e sem reservas, assumimos o amor mútuo e o encanto que sentimos um pelo outro, como o presente mais precioso que ganhamos de Deus. Sentimos saudade todos os dias, assim como sentimos uma alegria sem igual em cada reencontro, mesmo nos mais breves. E a vida agora é outra, simplesmente linda, simplesmente feliz, simplesmente completa... simplesmente Beatriz!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Costelinha com batata ao molho barbecue

Esta é uma receita simples, de fácil preparo, mas muito saborosa. Para quem aprecia uma boa cerveja gelada, naquelas reuniões caseiras, pode oferecer aos convidados como prato principal ou como um tira-gosto. Alguns amigos meus provaram e aprovaram. Então, aí vai a receita!

Ingredientes
1,2 kg de costelinha de porco
½ kg de batatas pequenas
1 pimentão vermelho grande
Cominho em pó
Noz Moscada em pó
Azeite
Vinagre
½ litro de vinho tinto seco
100 g de queijo tipo muçarela ralado grosso
250 g de farinha de mandioca torrada
150 g de bacon
Molho barbecue pronto (cerca de 200 g)

Como preparar
Corte a costelinha em pedaços pequenos.
Coloque em uma tigela e tempere com alho e sal, cominho e noz moscada a gosto.
Regue a carne com bastante azeite e vinagre. A seguir, adicione o copo de vinho tinto seco e misture tudo. Deixe descansar na geladeira por, pelo menos, duas horas.
Após este tempo, coloque a costelinha (sem o líquido, reserve-o) numa panela aquecida com um pouco de azeite.
Frite a costelinha até que ela esteja dourada e sequinha.
A seguir, vá acrescentando água quente e parte do líquido com o tempero que sobrou até que ela cozinhe e esteja macia.
Coloque a costelinha cozida em um refratário e leve ao forno, junto com as batatinhas semi cozidas e o pimentão vermelho cortado em quadrados grandes. Regue com um pouco do líquido com tempero da costelinha para não grudar no fundo da vasilha. Deixe assar por cerca de 20 minutos a uma temperatura de 200 graus. Quando estiver faltando cerca de cinco minutos, acrescente o queijo muçarela ralado e deixe que ele derreta.
A farofa: corte o bacon em cubos pequenos e frite. Coloque a farinha em uma panela ou frigideira quente e tempere a gosto. A seguir, acrescente o bacon e está pronta a farofa.

Sirva em vasilhas separadas a costelinha, a farofa e o molho barbecue. Esta receita serve até seis pessoas. E não se esqueça de me convidar!

sábado, 23 de julho de 2011

No aconchego da casa do Júlio

Confraternização com os amigos mais chegados é sempre um programa interessante – para dizer o mínimo – ainda mais na sexta-feira à noite. Nem precisa motivo. Aliás, sobram motivos para justificar o reencontro, rever as pessoas queridas e colocar a prosa em dia, tudo regado a uma boa cerveja e uma comidinha caseira. Afinal, mineiro é assim mesmo, sente prazer em receber amigos em casa e não abre mão de boas companhias, sempre com simplicidade, bom-humor e muita, muita alegria.

Júlio e Virgínia, os anfitriões deste encontro, são assim: mineiros com uma genuinidade quase italiana, daquele povo de uma alegria tão intensa que transforma o ambiente e tem o poder de despertar inveja nos mais carrancudos. Mas, como se não fosse suficiente, esse alto astral recebeu o reforço de outro casal que, parecendo ter vindo de carro novo, chegou trazendo a porção faltante de entusiasmo. Geisa e Rodrigo, amigos de outros carnavais, contagiaram até a pequena Beatriz que, de olhinhos atentos e sorriso sempre pronto, espantou o sono e aderiu à farra. Até porque mamãe Luciana não desgrudava dela... nem da taça de cerveja!
Daí em diante é que a noite realmente começou. E começou muito bem! Em grande estilo, como é de seu feitio, nossa anfitriã inaugurou a cozinha com um delicioso queijo ao molho pesto, deixando evidente que esse era apenas um pequeno aperitivo. Criatividade e originalidade para incrementar, de maneira simples, a nossa mesa e presentear nosso paladar. A cerveja gelada passou a ter companhias cada vez mais agradáveis e, para nossa satisfação, a culinária italiana se renovou com as incríveis bruschettas servidas por nossa Marisa Monte. Era hora de diversificar a bebida. Tomei a iniciativa de fazer um bom drink para os amigos. Chocolate quente com licor de marula super gelado, leite condensado, raspas de chocolate e um toque de canela em pó – um meio termo entre o calor e o frio que, além de bonito, fez um novo carinho no paladar de todos.
Entre uma história e outra, ou entre uma piada e outra, Beatriz não resistiu e se entregou a um novo sonho, sonho lindo, sonho de criança. Uma pena! Não viu e nem aproveitou o prato principal, servido como jantar, mas com toda a cara de tira-gosto de boteco. Após mais alguns chocolates e outras tantas cervejas, nos deliciamos com uma costelinha assada com batatas, servida com molho barbecue e farofa de bacon. Tudo de bom! E teve gente que perdeu... confirmou presença e depois amarelou. Mas, ainda assim, não é preciso ficar arrependido, até porque outros encontros – como este – estão prestes a acontecer. Além do que é só pedir à Virgínia a receita do queijo ao molho pesto e da bruschetta, e a da costelinha eu divulgo aqui mesmo, em breve. Prometo!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

E por falar em amor...

Amor nem sempre termina em casamento. Aliás, quando chega no altar é sinal que não terminou mesmo! Mas, geralmente começa em paixão. Esse sentimento estranho, movido por olhares, arrepios, frios na barriga e ânsia interminável de matar saudade (palavra estranha a outras línguas e, para nós, com tantos sinônimos e diferentes significados), que quase sempre incendeia o corpo e anuncia a chegada do amor. Também é sinal de problemas e angústias e, com frequência, vem acompanhado de decepções, mas, mesmo assim, raramente nos furtamos de seus efeitos ou preferimos a mesmice da vida solitária e tediosa dos solteiros convictos.

Mesmo sendo a paixão uma sensação perseguida por todos nós, o amor também aparece sem ela. Muitas relações amorosas são frutos de longas amizades ou de uma aproximação movida por outros interesses ou sentimentos. Esses não são piores que os relacionamentos apaixonados, são simplesmente diferentes. Podem até mesmo ter muitos adeptos e admiradores. Mas, convenhamos, estão fora de moda, são meio sem graça e pecam por não terem qualquer encanto. Não despertam volúpias, não são sedutores, não nos convidam a fazer uma loucura – mesmo sabendo que jamais vamos nos arrepender dela. Se nos arrependemos das loucuras de amor, não foram de amor, foram apenas loucuras. Sem brilho, sem adrenalina, sem convicção.

O amor talvez seja o tema mais explorado e disseminado pelo mundo, desde os primórdios. É a busca incessante e irremediável do ser humano. Tanto se fala em amar, ser amado e ter amores que basta procurar essa palavra no mais avançado dicionário eletrônico (aqui, leia-se Google) que surgirá um zilhão de respostas automaticamente – um total aproximado de 712 milhões de resultados, para tentar ser mais exato. Mas essa quantidade não faz a menor diferença. A qualidade sim, essa é fundamental. É preciso amar com tudo, para tudo, por tudo e apesar de tudo. Somos eternos sabedores dos defeitos do outro, mas, sempre que nos deparamos com eles, nossa reação mais provável é a negação. Se não for, nosso superestimado poder de mudar o outro em cena e brincamos de adulterar a essência daquele por quem professamos amor incondicional. Se quisermos alguém igual a nós mesmos, com nossos mesmos pensamentos e atitudes, o melhor é venerarmos nossa imagem e pedirmos nosso ego em casamento.

Amor é uma conquista diária! É olharmos para o outro e percebermos que ele existe de verdade, que tem vida própria e nos completa. É abrirmos mão de nossas preferências, de nossas prioridades e vaidades e de nosso egoísmo, sem deixarmos de ser nós mesmos, com autenticidade. É aceitarmos o outro em sua totalidade, com seus defeitos, com suas profundas imperfeições e, claro, com os presentes que dele recebemos. Alguns desses presentes, inclusive, são inesquecíveis!

terça-feira, 7 de junho de 2011

Vaga para Designer Gráfico - Belo Horizonte

Designer com experiência em diagramação e criação de peças gráficas para impressão e web.
Desejável conhecimento básico em HTML.
Salário: R$ 1000,00 + R$ 540 (alimentação e transporte).
Benefícios: Plano de Saúde + Plano Odontológico.
Carga horária: 4 horas.
Período: tarde.
Local: Belo Horizonte.
Início imediato!
Enviar currículo com portifólio paraernesto@supracomunicacao.com.br

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Metrópole de Todos Nós

Concreto, aço, curvas, paredes pichadas e edifícios tomando conta da paisagem. Para provar que a capital mineira não se resume a isso, percorri, na companhia do Fotógrafo Edson Brow, alguns dos pontos mais conhecidos de nossa metrópole. Tradicionalmente conhecida como Cidade Jardim, Belo Horizonte nos reserva gratas surpresas em suas formas, provando que ainda esbanja charme e beleza a seus moradores e turistas.

Por diversos ângulos e sob diferentes perspectivas, a cidade teve alguns de seus cartões-postais retratados pelas lentes precisas de nosso fotógrafo. E, apesar do céu acinzentado que insistia em ser protagonista daquela tarde, ao final, foi grande a satisfação de registrar algumas faces da capital que, apesar de tudo, continua moderna, charmosa e encantadora.

Confira outros ensaios: http://www.estudiomangabeiras.com


                       


sexta-feira, 1 de abril de 2011

Foda-se o racismo, fodam-se os racistas

O recente debate acerca das famigeradas e infelizes declarações do Deputado Federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) vai além de seu já declarado caráter (ou falta dele) racista, e transcende a questão da homofobia. É certo que o excelentíssimo representante da sociedade não sofrerá qualquer tipo de punição ou represália. Os representantes de seu partido já acenaram que não irão mover uma só palha para que o insano parlamentar seja expulso da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal. Como se não bastasse, a maldita (e já caquética) imunidade parlamentar vai impedi-lo, mais uma vez, de ser processado em qualquer esfera que seja.

Já estamos carecas de saber disso! O que precisamos é vergonha na cara e um pouco mais de memória política. O brasileiro só abre o jornal e liga a TV para ficar por dentro de esportes, fofocas, novelas e outras futilidades. Quase ninguém lê sobre política ou economia. O argumento é simples: é muito chato! Por isso, em pouco tempo não nos lembramos mais de posturas abomináveis como a desse ícone da mediocridade. Ele novamente será eleito, depois de posar de bom moço durante uma campanha eleitoral fantasiosa. Esse tipo de “gente” precisa ser banida da sociedade. Se não gosta de negros, deveria morar na Islândia ou em algum país nórdico, onde só tem loiros de olhos azuis. Mas essa atitude de repudiar e execrar os homossexuais é uma tentativa infantil e medieval de querer afirmar sua própria sexualidade, se sentindo superior a todos e a tudo.

O asqueroso Jair Bolsonaro reflete, na verdade, o que nosso país é: racista e preconceituoso. É essa espécie de gente que faz e aprova nossas leis, esses são nossos representantes maiores perante o mundo. Como se não bastasse a ganância, a desonestidade e as mentiras mais pútridas, temos que agüentar um ignorante metido à besta cuspir essas ofensas em nossa cara. Precisamos repensar nossos votos, ou, então, fazer greve eleitoral: ninguém vota... em ninguém! No mínimo, precisamos dar nosso recado a esse tipo de calhorda.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Você busca por tecnologias ou novas experiências de vida?


Ele é fino, veloz, robusto e dispensa maiores apresentações. O iPad, um fenômeno de vendas que deu a Apple um resultado recorde no primeiro trimestre do ano fiscal de 2011, deve ter as  vendas ampliadas com a chegada da sua segunda versão ao mercado. O número de vendas poderá ultrapassar 600 mil unidades. O computador portátil que revolucionou o mundo da tecnologia e do design está numa estratosfera única, superando valores de mercado das concorrentes Microsoft e Android.

Alvo de muita cobiça e críticas impiedosas, o iPad está no centro de uma nova polêmica: ele está pronto para substituir o desktop? A Apple deixou claro que a resposta é sim, principalmente por apresentar ao público novas experiências de usabilidade, simplicidade, e aumento na produtividade de tarefas simples no dia a dia. O dispositivo não é apenas um leitor de livros. O gadget permite ir além dos periféricos convencionais de entrada e saída, dos quais estamos habituados a lidar, mouse, pendrive, hd externo. O equipamento inova nas opções de armazenamento de dados nas nuvens, permitindo às pequenas e médias empresas darem saltos rápidos sem gastar fortunas com infraestrutura. O aparelho consegue cumprir atributos essenciais para a comunicação e navegação. No quesito entretenimento, o usuário pode baixar e comprar games e mais games, músicas, filmes e podcast na App Store. Tudo isso a custo bastante agradável (0,99 dólares).

A Apple consegue traçar cenários, aumentar a demanda no mercado competitivo e estimular a economia. Recentemente, a empresa investiu pesado na construção de um novo data center no estado norte-americano da Carolina do Norte que, segundo a Fortune, deve ter exigido investimentos da ordem de USS 1,7 bilhão. Os fabricantes de smartphones embarcaram na onda do sucesso de negócio online, e seguem à risca os passos da gigante precursora. Marcas como HTC, Android e Google investiram milhões para dar ao consumidor a liberdade copiada de comprar softwares e licenças pela internet. A indústria visionária de Steve Jobs é de plataforma fechada, almejada como a empresa de idéias inovadoras do século XXI, mirando sempre nos mercados não saturados, sem a preocupação de limitar os dispositivos a pequenos detalhes técnicos. A maçã conquista o mercado por quebrar paradigmas por meio de sua interface mais acessível e amigável, construindo categorias de produtos, antes inexistentes, para faixa etária que vai de 6 aos 72 anos de idade. Os consumidores dessa tecnologia acessível, pelo menos nos EUA e Europa, são pessoas comuns, de classe média, em busca de um estilo de vida agradável e motivador.

Recomendo
Leia o texto na íntegra: http://www.doislitros.blogspot.com/
O blog divulga artigos, matérias e dicas sobre design, tecnologia e tendências de mercado.
Vale à pena conferir as postagens do design de produto Filipe Natanael.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Encontro Memorável

Foi realmente um grande prazer. O tema abordado na conversa com Rubem Alves, no Sempre um Papo, ontem, no Palácio das Artes, talvez tenha sido um grande pretexto para que o escritor pudesse mostrar sua faceta mais alegre e descontraída. O mineiro de Boa Esperança contagiou a platéia que lotou o teatro principal com suas histórias, pontos de vista e descobertas sobre as variações do prazer e outros temas saborosos.

Quem compareceu não se arrependeu! Risadas, emoções, reflexões e, como não podia deixar de ser, olhares de pura contentação e muita sensibilidade por parte do anfitrião e personagem central do encontro. Rubem Alves, do alto de seus 86 anos, não se fez de rogado, e falou de prazer, sexo, ideologia, religião e educação, sempre com bom-humor e inteligência. A literatura também esteve em alta e foi o fio condutor da conversa que emocionou um público de idades e classes sociais variadas.  Em uma hora e meia de conversa, ele comentou seu novo livro, relembrou a infância no interior de Minas Gerais e respondeu perguntas da platéia. Sem dúvida, Rubem Alves continua esbanjando inteligência, graça e – acreditem – muita vitalidade!

segunda-feira, 21 de março de 2011

Vocabulário Feminino

Leila Ferreira

Se eu tivesse que escolher uma palavra - apenas uma - para ser item obrigatório no vocabulário da mulher de hoje, essa palavra seria um verbo de quatro sílabas: descomplicar. Depois de infinitas (e imensas) conquistas, acho que está passando da hora de aprendermos a viver com mais leveza: exigir menos dos outros e de nós próprias, cobrar menos, reclamar menos, carregar menos culpa, olhar menos para o espelho. Descomplicar talvez seja o atalho mais seguro para chegarmos à tão falada qualidade de vida que queremos – e merecemos – ter.


Mas há outras palavras que não podem faltar no kit existencial da mulher moderna. Amizade, por exemplo. Acostumadas a concentrar nossos sentimentos (e nossa energia...) nas relações amorosas, acabamos deixando as amigas em segundo plano. E nada, mas nada mesmo, faz tão bem para uma mulher quanto a convivência com as amigas. Ir ao cinema com elas (que gostam dos mesmos filmes que a gente), sair sem ter hora para voltar, compartilhar uma caipivodca de morango e repetir as histórias que já nos contamos mil vezes - isso, sim, faz bem para a pele. Para a alma, então, nem se fala. Ao menos uma vez por mês, deixe o marido ou o namorado em casa, prometa-se que não vai ligar para ele nem uma vez (desligue o celular, se for preciso) e desfrute os prazeres que só uma boa amizade consegue proporcionar.

E, já que falamos em desligar o celular, incorpore ao seu vocabulário duas palavras que têm estado ausentes do cotidiano feminino: pausa e silêncio. Aprenda a parar, nem que seja por cinco minutos, três vezes por semana, duas vezes por mês, ou uma vez por dia - não importa - e a ficar em silêncio. Essas pausas silenciosas nos permitem refletir, contar até 100 antes de uma decisão importante, entender melhor os próprios sentimentos, reencontrar a serenidade e o equilíbrio quando é preciso.

Também abra espaço, no vocabulário e no cotidiano, para o verbo rir. Não há creme anti-idade nem botox que salve a expressão de uma mulher mal-humorada. Azedume e amargura são palavras que devem ser banidas do nosso dia a dia. Se for preciso, pegue uma comédia na locadora, preste atenção na conversa de duas crianças, marque um encontro com aquela amiga engraçada - faça qualquer coisa, mas ria. O riso nos salva de nós mesmas, cura nossas angústias e nos reconcilia com a vida.

Quanto à palavra dieta, cuidado: mulheres que falam em regime o tempo todo costumam ser péssimas companhias. Deixe para discutir carboidratos e afins no banheiro feminino ou no consultório do endocrinologista. Nas mesas de restaurantes, nem pensar. Se for para ficar contando calorias, descrevendo a própria culpa e olhando para a sobremesa do companheiro de mesa com reprovação e inveja, melhor ficar em casa e desfrutar sua salada de alface e seu chá verde sozinha.

Uma sugestão? Tente trocar a obsessão pela dieta por outra palavra que, essa sim, deveria guiar nossos atos 24 horas por dia: gentileza. Ter classe não é usar roupas de grife: é ser delicada. Saber se comportar é infinitamente mais importante do que saber se vestir. Resgate aquele velho exercício que anda esquecido: aprenda a se colocar no lugar do outro, e trate-o como você gostaria de ser tratada, seja no trânsito, na fila do banco, na empresa onde trabalha, em casa, no supermercado, na academia.

E, para encerrar, não deixe de conjugar dois verbos que deveriam ser indissociáveis da vida: sonhar e recomeçar. Sonhe com aquela viagem ao exterior, aquele fim de semana na praia, o curso que você ainda vai fazer, a promoção que vai conquistar um dia, aquele homem que um dia (quem sabe?) ainda vai ser seu, sonhe que está beijando o Richard Gere... sonhar é quase fazer acontecer. Sonhe até que aconteça. E recomece, sempre que for preciso: seja na carreira, na vida amorosa, nos relacionamentos familiares. A vida nos dá um espaço de manobra: use-o para reinventar a si mesma.

E, por último (agora, sim, encerrando), risque do seu Aurélio a palavra perfeição. O dicionário das mulheres interessantes inclui fragilidades, inseguranças, limites. Pare de brigar com você mesma para ser a mãe perfeita, a dona de casa impecável, a profissional que sabe tudo, a esposa nota mil. Acima de tudo, elimine de sua vida o desgaste que é tentar ter coxas sem celulite, rosto sem rugas, cabelos que não arrepiam, bumbum que encara qualquer biquíni. Mulheres reais são mulheres imperfeitas. E mulheres que se aceitam como imperfeitas são mulheres livres. Viver não é (e nunca foi) fácil, mas, quando se elimina o excesso de peso da bagagem (e a busca da perfeição pesa toneladas), a tão sonhada felicidade fica muito mais possível.

Texto enviado por Luciana Rocha.


Leila Ferreira é jornalista, entrevistadora, colaboradora da Revista Marie Clarie e escritora. autora do livro “Mulheres: por que será que elas…?” (Editora Globo), foi repórter da Rede Globo Minas por cinco anos e durante 10 anos apresentou o programa “Leila Entrevista” (Rede Minas e TV Alterosa/SBT), que produziu 13 séries internacionais e por onde passaram mais de 1,6 mil entrevistados.


domingo, 20 de março de 2011

Sempre um Papo com Rubem Alves

O Sempre Um Papo inaugura sua programação 2011 em grande estilo. Volta à capital mineira o escritor Rubem Alves para conversa com o público e autógrafos do livro “Variações Sobre o Prazer – Santo Agostinho, Nietzche, Marx e Babette”, da Editora Planeta. O debate será mediado pelo idealizador do Sempre Um Papo, Afonso Borges. A entrada é gratuita.

Em “Variações Sobre o Prazer”, o autor proporciona momentos de liberdade, prazer e reflexão, falando de poetas, compositores clássicos, pintores, filósofos e outros. O livro apresenta uma proposta ao leitor: que tal se o prazer, em todas suas variações, se tornar o objeto de sua vida? Afinal, o paraíso é a exuberância do prazer.

O leitor se descobrirá caminhando ao lado de Santo Agostinho, do revolucionário Marx, do filósofo Nietzsche e da cozinheira Babette. Personagens, reais ou fictícios, que viveram desfrutando do que acreditavam. E, de acordo com Alves, eles têm muito a nos inspirar.

Sempre um Papo com Rubem Alves
Dia 23/03, quarta-feira, às 19h30min.
Grande Teatro do Palácio das Artes
Avenida Afonso Pena, 1537, Centro – Belo Horizonte
Informações: (31) 3216.1501

Título: Variações Sobre o Prazer - Santo Agostinho, Nietzche, Marx e Babette
Autor: Rubem Alves
Editora: Planeta, 2011.
Formato: 16 x 23 cm – 192 páginas
Preço: R$ 19,90

Rubem Alves é pedagogo, poeta, filósofo, cronista do cotidiano, contador de estórias, ensaísta, teólogo e psicanalista. Possui 80 obras publicadas e, pela editora Planeta, lançou “O Velho que Acordou Menino” (2005), “Perguntaram-me se Acredito em Deus” (2007), “Ostra Feliz não Faz Pérola” (2008), “O Sapo que Queria ser Príncipe” (2009) e “Do Universo à Jabuticaba” (2010).

quinta-feira, 3 de março de 2011

Vaga: Analista de Comunicação Digital

Para Belo Horizonte
Formação acadêmica superior completa em Jornalismo, Comunicação Social, Publicidade, Marketing, Relações Públicas ou Web Desing.
Experiência na coordenação operacional, geração de conteúdo, definição e execução de arquitetura e design de portais e mídias eletrônicas, adquiridas em empresas de médio e grande porte.
Interessados devem cadastrar currículo em http://www.vagas.com.br/v360258

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Prêmio SEBRAE de Jornalismo

O Prêmio SEBRAE de Jornalismo reconhece e premia as melhores pautas sobre o empreendedorismo brasileiro.



As inscrições podem ser feitas até 5 de março de 2011 pelo site:

Poderão ser inscritas matérias e reportagens publicadas no período de 1º de janeiro de 2010 até 28 de fevereiro de 2011.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Gafes do Telejornalismo Brasileiro

Lançado pela editora Panda Books, o livro "TV Trash", de Antônio Roberto Mier, reúne diversas pérolas das gafes cometidas no nosso telejornalismo. Em suas 128 páginas, além de relatar casos, no mínimo engraçados, de profissionais como William Bonner, Boris Casoy e Zileide Silva, o livro mostra o caminho para que os episódios sejam encontrados no YouTube. As páginas da obra também registram esquisitices, curiosidades e cenas bizarras de apresentadores, cantores, políticos, participantes de reality shows, programas femininos, humorísticos, infantis e escorregões na transmissão de canais locais e estrangeiros.

Título: "TV Trash"
Subtítulo: As cenas mais insólitas, bizarras e curiosas da televisão e como encontrá-las no YouTube
Autor: Antônio Roberto Mier
Editora: Panda Books

Ano: 2009
Páginas: 128
Preço: R$ 16,92 (promocional)
Onde comprar: pelo telefone 0800-140090 ou pelo site da
Livraria da Folha

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Estágio em Comunicação Social

Para trabalhar em Contagem – MG

Atividades: apoio às atividades da área de comunicação de forma integrada, passando por processos da empresa; comunicação interna: padronização e atualização de comunicados internos; orientação e apoio às áreas sobre os aspectos relacionados à marca e à comunicação corporativa; apoio à comunicação empresarial da unidade, promoção da comunicação face a face na empresa, divulgação das políticas de RH, entre outras; confecção de peças de comunicação, seguindo as orientações de aplicação da marca; acompanhamento de campanhas corporativas.

Perfil: cursando Comunicação Social partir do 5º período; conhecimento técnico em corel draw e photoshop; inglês avançado.

Os interessados devem encaminha currículum vitae para: futurarechumanos@yahoo.com.br, registrando, impreterivelmente, no campo assunto do e-mail: ESTAGIÁRIO COMUNICAÇÃO SOCIAL.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Fragmentos do amor que acende a lua

Mais um pequeno texto do escritor mineiro que há muito tem nos ensinado sobre o amor, a compreensão, o olhar e a alma humana.


"O que as pessoas mais desejam é alguém que as escute de maneira calma e tranqüila. Em silêncio. Sem dar conselhos. Sem que digam: "Se eu fosse você". A gente ama não é a pessoa que fala bonito. É a pessoa que escuta bonito. A fala só é bonita quando ela nasce de uma longa e silenciosa escuta. É na escuta que o amor começa. E é na não-escuta que ele termina. Não aprendi isso nos livros. Aprendi prestando atenção".


Rubem Alves
Texto extraído do livro "O amor que acende a lua", publicado em 1999.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Para o Fim de Semana

O Ritual

Inspirado em fatos reais, o filme narra a trajetória do jovem seminarista Michael Kovak (Colin O’Donoghue) que, indeciso com sua fé, se vê diante do desafio de fazer parte de uma escola de exorcismo do Vaticano. Seu ceticismo espiritual começa a se abalar quando ele encontra o padre Lucas (Anthony Hopkins), um experiente exorcista que lhe apresenta o lado obscuro da fé. Entre dúvidas sobre anjos e demônios, ele conhece a jornalista Angeline (Alice Braga) que está em busca informações sobre a prática do exorcismo e se vale das incertezas do seminarista para atingir seus objetivos.

Com poucos e bons efeitos visuais, o filme apresenta uma narrativa densa, valorizado principalmente por um roteiro instigante e bem delineado. Apesar de ser um tema bem conhecido do imaginário popular, a abordagem renega o vulgar e o previsível: nada de vômitos verdes ou cabeças que giram em 360 graus. O suspense norte-americano conta com um desempenho visceral de Colin O’Donoghue, ao lado da sempre marcante atuação de Anthony Hopkins, com destaque para a participação da brasileira Alice Braga e do veterano Rutger Hauer. O filme é baseado no livro “The Rite”, do jornalista Matt Baglio, que teve convivência com padres exorcistas. Vale à pena conferir!

Exibição em Belo Horizonte: BH Shopping, Big Shopping, Cine Pampulha Mall, Via Shopping, Itaú Power Shopping, Pátio savassi, Shopping Cidade e Shpping Norte.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Dia do Repórter

Hoje, 16 de fevereiro, é o Dia do Repórter.


O repórter é um profissional do jornalismo que exerce um papel fundamental para os diversos tipos de comunicação e veículos informativos. Seja em jornal, revista, televisão, rádio ou internet, esse profissional está sempre em busca de informações, depoimentos e imagens, muitas vezes em pouco espaço de tempo e em lugares de difícil acesso, para que a sociedade esteja bem informada e por dentro dos principais fatos diários. Atuando em diversas áreas, como economia, política, entretenimento, comportamento, ciência e tecnologia, educação e investigação, o repórter privilegia a exclusividade da notícia e pauta seu trabalho pela ética e transparência, sempre preservando suas fontes e buscando a imparcialidade. O repórter fotográfico ou cinematográfico, enquanto profissional da imagem, também possui inestimável valor para a qualidade das informações que são veiculadas pelas mais diferentes mídias.

Parabéns aos repórteres mineiros e brasileiros pelo seu dia! 

Estágio Jornalismo: TV Horizonte

O Programa Caleidoscópio da TV Horizonte procura dois estagiários para trabalhar na sua produção.

Pré-requisitos: cursar do 4º ao 7º período de jornalismo; disponibilidade no período da tarde; ser dinâmico.
São duas bolsas: uma de 4h no valor de R$300,00 + vale transporte e
uma de 6h no valor de R$450,00 + vale transporte.

Os interessados podem mandar seus currículos até o dia 25 de fevereiro para o e-mail: caleidoscopio@tvhorizonte.com.br
Se você gosta de TV, aproveite essa oportunidade!

Tv Horizonte

Amor Feinho

"Eu quero amor feinho.
Amor feinho não olha um pro outro.
Uma vez encontrado, é igual fé, não teologa mais.
Duro de forte, o amor feinho é magro, doido por sexo
e filhos tem os quantos haja.
Tudo que não fala, faz.
Planta beijo de três cores ao redor da casa
e saudade roxa e branca, da comum e da dobrada.
Amor feinho é bom porque não fica velho.
Cuida do essencial; o que brilha nos olhos é o que é:
eu sou homem você é mulher.
Amor feinho não tem ilusão,
o que ele tem é esperança:
eu quero amor feinho".

Adélia Prado

Nascida em 1935, Divinópolis - MG (onde reside até hoje), Adélia Luzia Prado Freitas publicou seu primeiro livro "Bagagem" aos  40 anos de idade. É Formada em Filosofia e teve o poeta Carlos Drumond de Andrade como seu padrinho na vida poética.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Workshop Gratuito em Belo Horizonte

O Conselho Regional de Economia de Minas Gerais – CORECON e a empresa Um Investimentos estão oferecendo gratuitamente o workshop “Como Montar sua Carteira de Ações”.

Data: 16/03/2011 (quarta-feira).
Horário: 19:30h às 22:00h.
Local: Auditório do CORECON-MG.
Endereço: Rua Paraíba, 777 – Funcionários – Belo Horizonte – MG.
Inscrições Grátis: (31) 3261-5806 ou corecon-mg@cofecon.org.br, até o dia 11/03/2011 (vagas limitadas).
Conteúdo e demais informações: http://www.portaldoeconomista.org.br.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Estúdio Mangabeiras

Outras fotos dos amigos do Estúdio Mangabeiras. Quem quiser conhecer melhor o trabalho dos fotógrafos pode entrar em contato pelos telefones (31) 3223-5563 ou 9102-6797 ou e-mail: edsonsalemejr@hotmail.com.




sábado, 12 de fevereiro de 2011

Correspondentes Internacionais para Cobertura das Olimpíadas 2012

Segunda edição do Passaporte SporTV

Objetivo: identificar jovens talentos do jornalismo para serem correspondentes internacionais e participarem da Cobertura das Olimpíadas de 2012.
Pré-requisitos: jornalistas recém formados; residentes no Brasil; maiores de 18 anos; fluentes no idioma Inglês; grande interesse por esportes; iniciativa, entusiasmo, maturidade, senso de oportunidade, capacidade de improvisação e autosuperação.

As inscrições já estão abertas e vão até 04/03.

Mais informações e inscrições pelos sites:
www.sportv.com/passaporte e http://bancodetalentos.globo.com/

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Texto de Rubem Alves

Um pequeno texto de um dos mais geniais pensadores e escritores contemporâneos brasileiros. Sempre atual e profundo, este escultor das letras consegue nos emocionar com seu expressionismo, conduzindo-nos a reflexões sobre a alma e a condição humana. 

Não foi à toa que Adélia Prado disse que "erótica é a alma". Enganam-se aqueles que pensam que erótico é o corpo. O corpo só é erótico pelos mundos que andam nele. A erótica não caminha segundo as direções da carne. Ela vive nos interstícios das palavras. Não existe amor que resista a um corpo vazio de fantasias. Um corpo vazio de fantasias é um instrumento mudo, do qual não sai melodia alguma. Por isso, Nietzsche disse que só existe uma pergunta a ser feita quando se pretende casar: "continuarei a ter prazer em conversar com esta pessoa daqui a 30 anos?"

Rubem Alves
Nascido em 1933, em Boa Esperança, Minas Gerais, é psicanalista, educador, teólogo e escritor, tendo publicado diversas obras sobre literatura, filosofia da religião, teologia, filosofia da ciência e da educação, política, crônicas e contos.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Eu recomendo: Estúdio Mangabeiras

Algumas belas fotos dos amigos Edson Brow, Virgílio de Barros e Gustavo Xingú, todos do estúdio Mangabeiras. Você pode achar que é coisa de profissional, porque é mesmo!














O vale tudo dos reality shows

Já faz tempo que os reality shows viraram febre no país, e isso não se discute. O que vale questionar não é a natureza ou o objetivo, mas o conteúdo disseminado por esses novos programas televisivos de entretenimento. A natureza explora o comportamento humano que, sob essa ótica, deve ser o mais pobre possível, tanto intelectual quanto emocionalmente. O objetivo, em princípio, é superar a concorrência no horário nobre, mas a enorme renda gerada também precisa ser considerada.

A disputa pela audiência tem feito com que as emissoras – atualmente, a Rede Globo com o BBB e a Rede Record com A fazenda, visto que o SBT resolveu sair do páreo – aumentassem a premiação dos vencedores, recrutassem mais e maiores patrocinadores e investissem pesado na divulgação de suas últimas edições. Entretanto, o que tem realmente feito a diferença são as estratégias, cada vez mais apelativas, pela escalada no IBOPE da família brasileira. Brigas, romances, disputas por comida, provas físicas, paredões, roças e “barracos” constantes já não satisfazem mais a fome dos espectadores adeptos desse moderno besteirol. É preciso mais!

Por isso, o confinamento dos participantes precisa ser recheado de surpresas e ter uma mistura cada vez maior de personagens, raças, profissões, credos e sexos. O verdadeiro zoológico humano comporta brancos, negros, homens, mulheres, gays e lésbicas – e todos assumem sua orientação sexual como se isso realmente fizesse alguma diferença. O BBB tenta passar a imagem de que não há preconceito e todas as tribos têm espaço garantido na “casa mais vigiada do país”, como diria aquele que um dia foi correspondente internacional e hoje é o mestre de cerimônia do circo de horrores global. E, nesse “vale tudo”, o telespectador pode se deliciar em tempo integral (seja pela Internet ou pela TV a cabo) com declarações e comportamentos pra lá de vexatórios, extrapolando os limites do mau gosto. A edição 11 do BB ou a edição 4 da fazenda são apenas um prenúncio de que haveremos de agüentar (quem se dispor, é claro), por muito tempo ainda, a evolução da decadência televisiva brasileira.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Google abre 60 vagas para SP e BH

O Google Brasil contratará 60 novos funcionários para atuar em suas unidades em São Paulo e Belo Horizonte. Algumas vagas já estão disponíveis na página da empresa, como para o setor administrativo, vendas, publicidade, marketing, relações públicas, engenharia, entre outras.

O objetivo da empresa é selecionar cerca de 60 profissionais até o final deste ano. No Brasil, o Google já conta com 250 funcionários. Em todo o mundo, a companhia pretende contratar 6 mil novos colaboradores.

Google São Paulo
Analista financeiro
Analista de recursos humanos
Analista de política e direito na web
Assistente administrativo
Diretor de Marketing
Especialista em marketing
Estrategista de operações
Executivo de contas
Gerente de parcerias estratégicas
Gerente de operações de vendas
Gerente de Marketing de produto
Gerente de Relações Públicas
Gerente de Segurança
Operador financeiro
Operador técnico de vendas
Técnico de suporte e operações
Vendedor


Belo Horizonte
Analista de Departamento Pessoal
Engenheiro de software
Gerente de Contas
Gerente de Produto
Relações Públicas
 
Mais detalhes na página de empregos do Google
 

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

E-books gratuitos

O blog da mídia 8 está com 233 livros (e-books) sobre mídias sociais, comunicação e web 2.0 disponíveis para download (gratuito), em Português, Inglês e Espanhol.
Além disso, o blog traz diversos outros serviços, enquetes, informações e matérias interessantes.


Oportunidades de Trabalho

Jornalista
Para São Paulo – divulgada em 28/01
Requisitos: boa cultura geral; experiência comprovada em Assessoria de Imprensa; experiência em geração de conteúdo; habilidade no cumprimento de prazos e administração de equipes; disponibilidade de viagens nacionais; conhecimentos de foto e vídeo; boa interface com equipes de criação; excelente familiaridade com redes sociais; cultura de Web; domínio de inglês.
Remuneração: R$ 5.000,00
Benefícios: não divulgados.
Interessados devem enviar currículo para: jornalista@lepera.com.br.
Obeservações:  no campo "Assunto" colocar  JORNALISTA; enviar dois exemplos de trabalhos; mande currículo e texto no corpo da mensagem; links e arquivos anexados não serão considerados.


Repórter
Para São Paulo – divulgada em 28/01
Para trabalhar em revista.
Necessário domínio do idioma Italiano.
Interessados devem enviar currículo para: redacao@comunitaitaliana.com.br.


quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

ENEM? Ah... Neim!

A educação brasileira pede socorro, está agonizando! Em todas as esferas o sistema parece entrar em estado terminal, quase vegetativo. Já entrou em colapso faz tempo. A frase adequada hoje em dia é: “Nossa educação vai muito mal, obrigado” – o agradecimento não é ironia, é submissão, coisa de povo acomodado mesmo. E os professores que o digam. Enfrentam uma árdua jornada diária, recebem verdadeira esmola como pagamento, e ainda existem aqueles que acreditam na falta de profissionalismo, formação ou especialização desses verdadeiros heróis. Seja no ensino infantil, fundamental, médio ou universitário, na rede pública ou particular, precisam aturar alunos descompromissados com o aprendizado e que se acham no direito de ofender, agredir e até mesmo matar aqueles que, até bem pouco tempo atrás, eram visto como mestres. Não apenas virou bagunça, é o fundo poço.

Os pais de alunos não reclamam, os sindicatos de professores pouco ou quase nada podem fazer e o governo, como sempre fez, cumpre a sua parte: de braços cruzados, acha que está tudo bem. E, para piorar esse cenário caótico, entra em cena o ENEM – que, aliás, devia se chamar "Ah, neim"! As trapalhadas feitas por esse arcaico modelo de avaliação do terceiro mundo, que não prejudicou apenas alunos, mas famílias inteiras, e já provou sua incompetência, foram exaustivamente expostas pela mídia. E de nada adiantou. A presidente Dilma Roussef, seguindo o exemplo cínico de seu antecessor, declarou publicamente que “Não há motivos para preocupação. O ENEM é um sistema de avaliação seguro e que está dando certo. Precisa apenas de alguns ajustes”.  Em “alguns ajustes” leia-se “extinção” ou, no mínimo, “reformulação total”.

O Ministro da Educação, Fernando Haddad, que juntamente com o próprio ENEM, tem demonstrado sua incapacidade de gerir a educação nacional e resolver problemas de grande relevância para a comunidade acadêmica, tirou férias no momento em que alunos eram injustamente impedidos de fazer provas; ações judiciais eram ajuizadas em todo o território nacional na tentativa de se obter autorização para que os prejudicados pudessem refazer as avaliações; e os alunos de universidades federais, como no caso da UFMG, eram impedidos de realizar a segunda etapa do vestibular. Me parece uma ocasião bastante inoportuna para o excelentíssimo ministro sair em férias para algum hotel de luxo na Riviera Francesa ou na Costa do Mediterrâneo.

Os alunos são, sem dúvida, as maiores vítimas. Depois se prepararem o ano inteiro para o vestibular e gastarem tempo e (muito) dinheiro em cursinhos pré-vestibulares, tiveram seus conhecimentos cerceados por um sistema de avaliação deficiente e que não consegue sequer dar explicações convincentes sobre lambanças feitas. Será que vamos continuar como meros espectadores, assistindo a derrocada da educação em favor de pessoas que insistem em mostrar, a qualquer custo, que estão certas e que detém um poder soberano e inquestionável? Pagamos uma das maiores cargas tributárias do mundo (isso pode não ser novidade, mas é sempre bom ser lembrado), somos roubados desde os tempos de Cabral, compactuamos com escândalos políticos e financeiros, somos arrastados por enxurradas e assolados pela seca (problemas para os quais os governantes fecham os olhos), somos assaltados nas esquinas, na saída do banco e em nossas casas, pagamos propinas a policiais e outras “autoridades” e, para não estender demais a lista, somos obrigados a votar em canalhas, ladrões e corruptos de toda laia. Será que não basta? Temos que suportar, como se fosse algo natural, um sistema de avaliação educacional - que já nasceu falido - roubar o tempo e as oportunidades de nossos filhos? O povo brasileiro precisa acordar, estamos sorrindo à beira de um precipício.